Irã enriquecerá urânio a um nível superior ao atual

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, anunciou ontem que o país vai enriquecer o próprio urânio em um nível superior ao obtido até agora. A decisão é um desafio direto aos pedidos da comunidade internacional para que Teerã paralise seu programa nuclear.

Reuters, TEERÃ, O Estadao de S.Paulo

03 Dezembro 2009 | 00h00

Em discurso a milhares de pessoas em Isfahan, Ahmadinejad disse que o Irã produzirá urânio enriquecido a 20% e "qualquer outra coisa que necessite" para seu projeto nuclear. "Nos disseram que nos dariam combustível enriquecido, mas logo começaram a colocar condições. Se nos derem combustível, aceitaremos. Caso contrário, podem ir embora", disse Ahmadinejad, em referência à proposta da ONU de enriquecer urânio iraniano no exterior.

O urânio enriquecido a 20% é usado para pesquisas e tratamentos médicos. Além dessa proporção - em níveis que oscilam em torno de 90% -, o urânio é transformado em plutônio, cujo único uso é bélico. O Ocidente acredita que esse é o objetivo do programa nuclear do país, embora Teerã afirme que seu projeto tem fins pacíficos.

Ahmadinejad anunciou a nova medida adotada pelo Irã um dia após Teerã rejeitar as exigências ocidentais de que o país coopere com os inspetores internacionais e feche uma usina. Em resposta, o governo anunciou a construção de 10 novas centrais nucleares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.