Irã: houve mal-entendido no caso de denúncia de abuso

A Embaixada do Irã publicou uma nota ontem, 18, à noite, sobre as denúncias de abuso sexual, atribuídas a um diplomata, de 51 anos, do país. Segundo o texto, houve um "mal-entendido" na interpretação dos fatos devido às "diferenças culturais" entre iranianos e brasileiros.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

19 Abril 2012 | 10h03

Desde que as acusações foram feitas, no último dia 14, esta foi a primeira manifestação da representação diplomática.

O Ministério das Relações Exteriores recebeu as informações da Polícia Civil do Distrito Federal sobre as acusações envolvendo o diplomata iraniano e decidiu notificar oficialmente a Embaixada do Irã no Brasil. Antes, no entanto, serão conduzidas investigações em relação ao caso. O iraniano não pode ser investigado nem incriminado como os cidadãos comuns, pois dispõe de imunidade diplomática.

Parentes das crianças estiveram no Itamaraty para pedir ao governo federal providências em relação ao caso. O diplomata iraniano é acusado de ter assediado sexualmente crianças e adolescentes de 9 a 14 anos na piscina de um clube da capital federal, localizado em área nobre da cidade. As informações são da Agência Brasil.

Mais conteúdo sobre:
iranianoBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.