Irã quer fiança para libertar americana acusada de espionagem

O Irã afirmou nesta domingo que irá libertar sob fiança um dos três norte-americanos acusados de espionagem e detidos durante mais de um ano, um dia após a libertação planejada ter sido interrompida pelo poder judiciário do país.

REUTERS

12 de setembro de 2010 | 10h12

O procurador afirmou à TV estatal de Teerã no domingo que Sarah Shourd seria libertada mediante pagamento de fiança de 500 mil dólares, podendo deixar o Irã.

Shourd foi detida perto da fronteira entre Irã e Iraque no final de julho de 2009, juntamente com dois companheiros do sexo masculino, Shane Bauer e Josh Fattal. Familiares afirmaram que eles faziam uma caminhada nas montanhas do norte do Iraque na época.

Autoridades haviam dito na semana passada que Shourd seria libertada na sábado, mas o poder judiciário iraniano suspendeu a decisão no último minuto, afirmando que o processo legal ainda não havia sido concluído. A demora pode indicar uma divisão entre os governantes radicais iranianos.

"A espiã americana pode ser libertada em breve, tão logo sua fiança de 500 mil dólares seja paga... Ela não está proibida de sair do Irã, mas deve estar no tribunal no momento do julgamento", disse o promotor de Teerã, Abbas Jafari Dolatabadi.

"Os outros dois alpinistas americanos permanecerão na cadeia", adicionou.

O advogado que representa os três norte-americanos, Masoud Shafie, disse que eles havia ido à corte mais cedo no domingo e apresentaram sua defesa final. O promotor pode agora apresentar a sua acusação, o que antecederia um julgamento.

(Por Parisa Hafezi)

Tudo o que sabemos sobre:
AMERICANOSIRA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.