Irã rejeita proposta do Ocidente, diz jornal

O jornal americano The New York Times afirmou que o Irã comunicou à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) na quinta-feira que não aceita os termos da proposta de Viena, sugeridos há uma semana por EUA, Rússia e França. O plano é visto como uma tentativa de impedir que o país desenvolva uma bomba nuclear, obrigando Teerã a enviar seu urânio para ser enriquecido na Rússia e na França.

NYT E REUTERS, TEERÃ, O Estadao de S.Paulo

31 Outubro 2009 | 00h00

O jornal cita fontes diplomáticas da Europa e dos EUA, que teriam tido acesso à "resposta inicial" entregue pelo Irã à AIEA. Até então, o conteúdo da resposta era mantido em sigilo.Ontem, a imprensa estatal iraniana disse que o regime apenas "anunciou seu ponto de vista positivo sobre as conversações e está pronto para continuar dialogando". O Ocidente, porém, vê as respostas evasivas do Irã como uma estratégia para ganhar tempo.

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, se irritou com a posição evasiva de Teerã. "O tempo do presidente (iraniano, Mahmoud Ahmadinejad) não é ilimitado. Não se trata de falar e falar, mas de chegar a um acordo que eles pareciam desejar até a semana passada", disse.

Teerã faz objeção a dois pontos da proposta. Primeiro, o regime se nega a enviar 75% de seu urânio (1.200 quilos) para ser enriquecido na Rússia de uma única vez (o material voltaria ao Irã enriquecido de uma forma que só permite seu uso para fins pacíficos).

Além disso, Ahmadinejad exige que o Ocidente continue abastecendo o Irã com urânio enriquecido na mesma proporção em que o país envia seu próprio material para a Rússia. Com isso, o país manteria seu estoque sempre alto, mesmo enquanto envia parte de seu material radioativo para o exterior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.