Iraque aumenta segurança para futebol

Seleção iraquiana, sob comando de brasileiro, disputa final da Copa da Ásia.

BBC Brasil, BBC

29 Julho 2007 | 08h48

A segurança em Bagdá foi intensificada neste domingo em preparação para a participação da seleção iraquiana na final da Copa da Ásia em Jacarta, na Indonésia. A seleção, sob o comando do técnico brasileiro Jorvan Vieira, joga contra a Arábia Saudita. As autoridades iraquianas temem que fãs reunidos possam ser alvos de atentados. Cerca de 50 pessoas morreram em ataques após a classificação do Iraque na semifinal. Carros, motos e bicicletas foram banidos das ruas de Bagdá até a manhã de segunda-feira e a polícia fez um apelo para que os fãs não se reúnam para assistir a partida. Mas correspondentes dizem que os resultados históricos do Iraque na Copa da Ásia uniram temporariamente o país dividido. Segundo o correspondente da BBC em Bagdá, Andy Gallacher, a febre do futebol está capturando a atenção de todo o país. Lojas vendendo bandeiras iraquianas, bonés e camisetas relatam um forte aumento nos negócios e os iraquianos estocaram combustível para garantir que os geradores possam manter as televisões ligadas. As autoridades disseram que qualquer um pego atirando para o alto em comemoração será punido, depois que balas perdidas mataram várias pessoas em vitórias anteriores. Mas, segundo o correspondente da BBC, as medidas de segurança não deverão diminuir as comemorações caso o Iraque vença. Em entrevista à BBC Brasil neste sábado o técnico Jorvan Vieira disse estar otimista para a partida. O técnico, que deixa a seleção após a final, disse que transformou um time desunido, em que jogadores não passavam a bola uns para os outros, em "uma família". BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
futebol, seleção, jorvan vieira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.