Iraque: ex-juiz acusa governo de 'aceitar' corrupção

Radhi Hamza al-Radhi era chefe de comissão que lidava com o problema.

BBC Brasil, BBC

13 de outubro de 2007 | 20h40

O homem que era responsável pelo combate à corrupção no Iraque disse, em entrevista à BBC, que o uso de práticas corruptas é comum no país e que o governo não está empenhado em combater o problema.Radhi Hamza al-Radhi - que deixou o Iraque e seguiu para os Estados Unidos no início do ano, dizendo temer por sua vida - afirmou que a comissão que ele presidia descobriu provas de 3 mil casos de corrupção.Al-Radhi, um ex-juiz, acusou o governo em Bagdá de impedir que ele investigasse os responsáveis."Nós começamos o nosso trabalho em junho de 2004 com 3 mil casos", afirmou. "E descobrimos que U$ 18 bilhões tinham sumido".Al-Radhi disse que pessoas que trabalhavam com ele e suas famílias haviam sido alvos de ataque - alguns teriam sido seqüestrados, torturados e mortos.No início do mês, al-Radhi disse a um comitê do Congresso americano que o primeiro-ministro iraquiano, Nouri Maliki, havia protegido familiares envolvidos em corrupção.Mas o governo iraquiano, por sua vez, acusa al-Radhi de corrupção.Em Julho, o departamento dos Estados Unidos que acompanha os esforços de reconstrução no Iraque disse que subornos e mau gerenciamento de recursos são endêmicos no país, o equivalente a uma "segunda insurgência".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
iraque corrupção exílio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.