Iraquianos festejam vitória no futebol com técnico brasileiro

Os jornais em Bagdá deram com destaque a notícia da vitória da seleção do país, que tem à frente o técnico brasileiro Jorvan Vieira, na Copa da Ásia nesta segunda-feira, depois de derrotar o time da Arábia Saudita na final disputada em Jacarta, na Indonésia. Para muitos, a vitória não foi só esportiva. "Os jogadores uniram o povo - sunitas, xiitas, árabes, curdos, cristãos, turcomenos, enquanto os deputados fazem o contrário", disse o torcedor Rasheed al-Jumaili, que culpou os políticos pelas divisões no país. Em entrevista coletiva em Jacarta, Vieira disse: "Fiz o melhor que pude para dar alegria ao povo iraquiano, colocar mais sorrisos nos lábios deles." O técnico brasileiro afirmou que havia prometido fazer isso em 23 de maio, quando assinou o contrato com a Federação Iraquiana de Futebol. O capitão da seleção do Iraque, Khalef Younes, lembrou das mais de 50 pessoas mortas em atentados no país na semana passada depois da vitória em partida contra a seleção da Coréia do Sul. Um dos mortos era um menino de 12 anos. O craque tirou do sofrimento dos torcedores uma motivação para vencer o campeonato. No domingo, as ruas de Bagdá ficaram quase desertas durante a partida. Grupos de iraquianos sentaram-se lado a lado diante de aparelhos de televisão para torcer pela sua seleção, formada por curdos, xiitas e sunitas, conhecida como Leões da Mesopotâmia. O gol da vitória levou muita gente às ruas, com bandeiras em punho e, em alguns casos, armas, dando tiros para cima para comemorar. Foi festa, pelo menos por algumas horas, em meio a meses e meses de carestia para os iraquianos. Um relatório divulgado nesta segunda-feira por ONGs da Grã-Bretanha e do Iraque alerta que até oito milhões de pessoas no país, ou cerca de um terço da população do Iraque, precisa urgentemente de ajuda humanitária. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.