Irmã Dorothy e Benazir Bhutto são homenageadas da ONU

O filho da política paquistanesa assassinada Benazir Bhutto recebeu um prêmio de direitos humanos da ONU em seu nome na quarta-feira. A irmã Dorothy Stang, morta no Brasil, também foi laureada. Bhutto, que morreu há quase um ano, e a irmã Dorothy figuravam na lista ao lado de seis indivíduos e uma organização homenageados pela Assembléia Geral da ONU no 60o aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Dorothy Stang, freira norte-americana que defendia os direitos de pobres e indígenas na região amazônica, foi morta a tiros no Pará, em 2005. Bhutto morreu em um ataque suicida depois de um comício eleitoral, em 27 de dezembro passado. Seu viúvo, Asif Ali Zardari, é hoje presidente, após a vitória do Partido do Povo, de Bhutto, nas eleições de fevereiro último. O filho de Bhutto, Bilawal Bhutto Zardari, disse estar "dominado tanto pela tristeza como pela alegria". "Eu estava extremamente feliz porque a ONU a homenageou com esse prêmio, mas obviamente eu estaria muito mais feliz se ela estivesse aqui para recebê-lo", disse o estudante de 20 anos, que tornou-se dirigente do partido depois da morte da mãe. Os outros vencedores foram a ex-comissária da ONU para Direitos Humanos, Louise Arbour, o ex-procurador-geral dos EUA, Ramsey Clark, a ativista jamaicana Carolyn Gomes, o médico congolês Denis Mukwege e o grupo Human Rights Watch, sediado em Nova York.

CLAUDIA PARSONS, REUTERS

10 Dezembro 2008 | 22h42

Mais conteúdo sobre:
IRM DOROTHY E BENAZIR BHUTTO GANHAM PRMIO PS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.