Irmão do papa admite que batia em meninos

O padre Georg Ratzinger, irmão do papa Bento XVI, disse que esbofeteava meninos que integravam um famoso coro alemão que ele dirigiu nos anos 60. Ele também revelou que sabia das acusações de castigos físicos em uma escola vinculada ao coro e que não fez nada a respeito.

AP, O Estadao de S.Paulo

10 de março de 2010 | 00h00

Entretanto, o religioso disse que não sabia das acusações de abuso sexual. Sobre os casos de agressão física, afirmou que, se tivesse sabido da severidade dos castigos, teria "dito algo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.