Islândia estatiza maior banco e suspende pregão da bolsa até 2a

A Islândia tomou nesta quinta-feira o controle do maior banco do país, o Kaupthing, para tentar apoiar o sistema bancário, e suspendeu as negociações de seu mercado de ações. A Autoridade de Supervisão Financeira da Islândia (FME) informou que os depósitos domésticos do Kaupthing foram totalmente garantidos e que todas as agências, caixas eletrônicos e operações na Internet funcionarão normalmente. "A ação tomada pela FME é um passo necessário no cumprimento dos objetivos do governo e do parlamento islandês para assegurar a continuidade da operação ordenada do sistema bancário doméstico e a segurança dos depósitos domésticos", informou o órgão. Com o movimento, o Estado islandês já tomou três dos maiores bancos do país. Os outros dois foram Landsbanki e Glitnir, nesta semana. A bolsa de valores suspendeu a negociação de todas as ações, citando condições anormais do mercado. O pregão não será retomado antes de segunda-feira. Em meio à crise financeira mundial, o primeiro-ministro da Islândia alertou sobre o risco de colapso nacional. Lar de apenas 300 mil pessoas, a Islândia sintetizou o "boom" do crédito global que estourou. Seus bancos expandiram-se dramaticamente mundo afora, com os investidores tomando grandes posições em sua moeda de altos rendimentos e investimento estrangeiro sendo colocado em projetos locais. O banco central tentou e depois abandonou uma iniciativa de estimular sua abatida moeda e agora procura um empréstimo emergencial junto à Rússia. (Por Brett Young)

REUTERS

09 de outubro de 2008 | 08h26

Tudo o que sabemos sobre:
CRISEISLANDIAESTATIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.