Israel e Hezbollah iniciam troca de prisioneiros

Hezbollah entrega corpos de soldados; Israel aguarda testede DNA para liberar militantes.

Da BBC Brasil, BBC

16 Julho 2008 | 06h21

Israel e o Hezbollah deram início nesta quarta-feira a uma troca de prisioneiros na fronteira entre o Líbano e seu vizinho do sul.Israel recebeu, do Hezbollah, dois caixões com os supostos despojos dos soldados Eldad Regev e Ehud Goldwasser, capturados durante uma operação do Hezbollah em 2006. A identidade dos corpos será verificada através de testes de DNA, o que pode levar várias horas. Muitos israelenses esperavam que eles ainda estivessem vivos.Assim que as identidades forem confirmadas, Israel entregará ao Hezbollah cinco militantes do grupo islâmico que estavam sendo mantidos como prisioneiros.O processo de troca está sendo apresentado no Líbano como um triunfo. O Líbano declarou feriado nacional para marcar a troca. Depois dela, não haverá mais militantes do Hezbollah em prisões israelenses.Há dois anos Israel invadiu o Líbano para libertar os dois soldados, iniciando uma guerra que durou 33 dias.Israel também vai entregar ao Hezbollah os despojos de cerca de 200 combatentes libaneses e palestinos mortos no norte de seu território.Em Israel, a troca causou polêmica. Alguns ministros se opuseram à possível troca de prisioneiros vivos do Hezbollah por corpos.O gabinete de Israel deu sua aprovação final à troca de prisioneiros na terça-feira.Falando ao gabinete antes da votação, o presidente israelense, Shimon Peres, disse: "Este não é um dia feliz para nós, libertar assassinos como estes. Mas nós temos a obrigação moral e sentimental de trazer nossos soldados para casa."Combatentes mortosA troca está sendo mediada pelo Comitê Internacional da Cruz Vermelha.Os prisioneiros libaneses libertados incluem Samir Qantar, preso desde 1979 por um ataque guerrilheiro em que morreram três soldados israelenses e uma criança.Depois da votação, Peres perdoou Qantar e outros quatro prisioneiros integrantes do Hezbollah, o primeiro passo formal para a libertação, disse seu gabinete em uma declaração.A tentativa de forçar a libertação Qantar pode ter sido a motivação para a operação do Hezbollah que resultou no seqüestro dos dois soldados israelenses em 2006, o catalizador da guerra entre o Hezbollah e Israel, afirma o correspondente da BBC na capital libanesa, Beirute, Crispin Thorold. A guerra custou a vida de mais de 1,1 mil libaneses e quase 160 israelenses.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.