Israel põe em dúvida acordo com palestinos dentro do prazo até abril

O ministro da Defesa de Israel, Moshe Yaalon, afirmou nesta terça-feira que ainda existem grandes diferenças nas negociações com os palestinos depois da mais recente visita do secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e levantou dúvidas sobre a possibilidade de se chegar a um acordo final até o prazo de abril.

Reuters

07 de janeiro de 2014 | 14h37

Após três anos paradas, as negociações para um Estado palestino foram retomadas em julho, com um prazo de nove meses para se chegar a um acordo de paz permanente, em meio ao ceticismo geral de que uma solução para décadas de conflito pudesse ser alcançada.

"Estamos tentando acordar as bases para a continuidade das negociações por um período maior do que os nove meses nos quais alguns pensaram que seríamos capazes de chegar a um acordo permanente", disse o ministro à imprensa.

"Claramente há grandes diferenças, e elas não são novas, mas o nosso interesse é continuar o diálogo", declarou, sem detalhar as diferenças.

Os Estados Unidos tentam negociar linhas gerais sobre assuntos como fronteiras, segurança, o futuro dos refugiados palestinos e o status de Jerusalém.

(Por Jeffrey Heller; Reportagem adicional por Ali Sawafta)

Tudo o que sabemos sobre:
ISRAELDIALOGO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.