Itália investiga formação de 'cartel do macarrão'

Fabricantes estariam agindo ilegalmente para fixar preço do produto no mercado.

BBC Brasil, BBC

24 de outubro de 2007 | 07h00

Um órgão regulador do governo italiano abriu uma investigação para apurar se duas associações de fabricantes de massa estariam formando cartel para fixar o preço do produto.Segundo a Autoridade Italiana de Mercado e Competição, há denúncias de que a União Industrial dos Fabricantes de Massa, que responde por 85% da produção do produto no país, e a União Alimentar, estariam infringindo as regras de competição diante do aumento do preço do trigo.No mês passado, os fabricantes de massa na Itália anunciaram que o aumento do preço do grão, que já havia sido repassado para a farinha, também encareceria as massas em até 20%."A investigação vai apurar indícios de que diante do anúncio do aumento, alguns produtores estejam adotando uma estratégia combinada, em vez de competir pelos melhores preços", divulgou o órgão por meio de um comunicado.A medida se segue a um "boicote ao macarrão" de 24 horas, convocado no mês passado por associações de consumidores em protesto contra a alta dos preços.O preço da farinha usada na produção das massas aumentou de 0,26 centavos de euro por quilo (R$ 0,68) para 0,45 centavos de euro (R$1,19) nos últimos meses.O aquecimento global e o crescente uso do trigo na produção de biocombustíveis estão sendo apontados como culpados pelo aumento do preço das massas italianas.Cada italiano consome cerca de 28 quilos do produto por ano, segundo a Associação dos produtores da massa da União Européia. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.