Itália propõe novo corte em taxas de telecomunicações no atacado

O regulador italiano AGCOM propôs um novo corte para taxas de telecomunicações no atacado, disse um representante da agência nesta terça-feira, uma medida que pode erodir o lucro da Telecom Italia, que é dona da maior parte da rede telefônica do país.

REUTERS

24 Junho 2014 | 15h11

Falando nos bastidores de uma conferência, o comissário da AGCOM Antonio Preto disse que a agência foi forçada a tomar a decisão pela mais alta corte administrativa da Itália, que pediu revisão de preços de serviços de manutenção, após uma queixa de três rivais da Telecom Italia.

Separadamente, o presidente-executivo da Telecom Italia, Marco Patuano, disse que seu grupo vai recorrer contra o novo corte proposto, que está sujeito a um período de 30 dias de consultas.

Uma decisão anterior de cortar em cerca de 6 por cento as taxas de acesso para 2013 reduziu o lucro da Telecom Italia em 110 milhões de euros e atraiu críticas da Comissão Europeia, que disse que o corte desencorajava investimentos em redes mais rápidas.

Companhias telefônicas, como Vodafone, Fastweb e Wind, dizem que reduções dos preços de acesso abrirão o mercado ainda dominado pela Telecom Italia.

Mais conteúdo sobre:
EMPRESASTELECOMITALIACORTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.