Italianas prometem greve de sexo contra fogos de artifício

Idéia visa convencer homens a não soltarem fogos que ferem centenas todos os anos.

Da BBC Brasil, BBC

31 Dezembro 2008 | 12h33

Centenas de mulheres da região de Nápoles, no sul da Itália, prometeram não fazer sexo com os parceiros na noite do dia 31 de dezembro se eles soltarem fogos de artifício para comemorar a chegada do Ano Novo. A iniciativa partiu do grupo Se você soltar fogos, nada de sexo, que conseguiu recolher centenas de assinaturas para um abaixo-assinado. Em entrevista ao jornal italiano La Stampa, a organizadora do movimento, Carolina Staianno, de 44 anos, disse que a idéia tem como objetivo convencer os homens a não soltarem fogos caseiros, que são ilegais e todos os anos deixam centenas de feridos na região. "Soltar fogos ilegais não é celebração, é perigoso", disse Carolina ao jornal. "Se o seu homem não entende, faça alguma coisa e o coloque para dormir no sofá. A recusa ao sexo é sempre um argumento ao qual os homens ficam muito sensibilizados". Uma das razões que levaram Carolina a encabeçar o grupo é uma história de tragédia familiar. Seu pai ficou parcialmente paralisado após um acidente com fogos de artifício. "Por toda a vida ele sofreu ataques epiléticos em decorrência do acidente", contou ela ao diário italiano. As autoridades de Nápoles também resolveram embarcar na idéia e disseram que vão enviar torpedos para os celulares com a mensagem: "Faça amor, não explosões". No ano passado, a polícia apreendeu 146 toneladas de fogos de artifícios caseiros antes da noite do réveillon, o que não evitou que uma pessoa morresse e mais de 400 ficassem feridas em decorrência de acidentes com os artefatos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
sexo fogos de artifício

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.