Italiano morre após atear fogo ao próprio corpo em protesto

Um homem de 54 anos morreu neste domingo após ter ateado fogo ao próprio corpo na frente do Parlamento italiano na semana passada, a fim de chamar atenção para sua luta com o desemprego, afirmou a polícia.

Reuters

19 de agosto de 2012 | 12h36

Angelo di Carlo sofreu queimaduras em 85 por cento de seu corpo após o incidente em frente à Câmara Baixa do Parlamento -Câmara dos Deputados- no centro de Roma, na manhã do dia 11 de agosto, disse a mídia italiana.

Policiais em serviço nas proximidades apagaram as chamas utilizando extintores de incêndio, e o levaram a um hospital.

O viúvo estava enfrentando dificuldades econômicas, após perder seu emprego e de ter batalhado durante anos antes disso com empregos temporários, que ofereciam pouca proteção ou benefícios, de acordo com relatos da mídia.

Os italianos estão lidando com uma recessão econômica e um aumento no desemprego enquanto enfrentam impostos mais altos e cortes de gastos do Estado, introduzido pelo governo numa tentativa de tentar controlar a imensa dívida pública do país.

A morte de di Carlo é o último acontecimento em uma onda de suicídios de grande repercussão ligados a problemas financeiros que, nos últimos meses, realçaram o custo humano da crise econômica no país.

(Reportagem de Catherine Hornby)

Mais conteúdo sobre:
ITALIAMORTECORPO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.