Japão compra mais direitos de emissão de poluentes

O comércio de emissões de poluentes no Japãotem aumentado, e cada vez mais bancos e casas de valores agem comointermediários, negociando direitos de emitir dióxido de carbono,segundo um estudo publicado nesta quinta-feira. Oito empresas atuaram como corretoras em mais de 30 negociações deemissões de gases do efeito estufa até outubro, segundo uma pesquisado jornal Nikkei Financial, que prevê um total de 36 transações em2006. O Protocolo de Kyoto obriga o Japão a reduzir suas emissõespoluentes, entre 2008 e 2012, em 6% sobre os níveis de 1990. Porisso, a demanda de direitos de poluição cresce, principalmenteentre as empresas dos setores de energia e siderurgia, diz o jornal. Além da compra e venda direta de emissões poluentes, algumasempresas começaram a oferecer produtos derivados, como fundos parafacilitar a aquisição, planejados pelo grupo Mizuho. A casa de valores Daiwa Securities começou a vender um bônusvinculado aos direitos de emissões poluentes. Já o Ministério doMeio Ambiente comercializa emissões de dióxido de carbono através dainternet. O Japão foi o maior comprador mundial de direitos de emissões degases do efeito estufa entre janeiro de 2005 e março de 2006, com38% do total, segundo o Banco Mundial. A China foi o maior vendedor,com 66%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.