Japão estuda permitir uso do espaço para fim militar

O Partido Democrático Liberal (PDL), no governo do Japão, está pedindo uma revisão da postura governamental de garantir o uso do espaço apenas para fins pacíficos, a fim de permitir aplicações espaciais "estritamente defensivas", informa o jornal japonês Asahi Shimbun. A estratégia representa um desvio importante da política definida em 1969, quando o Parlamento do país adotou uma resolução que restringe o uso do espaço sideral a propósitos não-militares. Um comitê especial do PDL pedirá que o governo adote uma interpretação menos rígida dessa determinação.Segundo as fontes citadas pelo jornal japonês, o comitê elaborará um relatório sobre o assunto até março e recomendará a revisão da política de governo em agosto.Em 1985, o governo japonês adotou um entendimento de que, mesmo quando a Força de Autodefesa nacional utiliza satélites artificiais, a tecnologia adotada não deve ser superior à disponível no dia-a-dia. Mesmo o satélite de espionagem desenvolvido pelo Japão após o lançamento, pela Coréia do Norte, de um míssil balístico sobre o território japonês, é considerado apenas tão bom quanto os satélites utilizados por empresas privadas.

Agencia Estado,

25 de janeiro de 2006 | 17h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.