Japão pode oferecer medicamento sem aprovação para Ebola

Segundo porta-voz, o Japão foi requisitado por alguns países sobre a droga

REUTERS

25 Agosto 2014 | 09h37

O Japão gostaria de oferecer um medicamento para ajudar a tratar o letal vírus do Ebola antes que a Organização Mundial da Saúde (OMS) tome uma decisão oficial sobre seu uso, disse o porta-voz do alto escalão do governo do país nesta segunda-feira.

O secretário-chefe do Gabinete, Yoshihide Suga, disse em coletiva de imprensa que o Japão foi questionado por alguns países sobre a droga para influenza favipiravir, ou T-705, como é conhecida no código de desenvolvimento.

"Recebi informações de que profissionais de medicina podem fazer uma solicitação pela T-705 em uma emergência mesmo antes de uma decisão (sobre aprovação) pela OMS. Nesse caso, gostaríamos de responder sob certos critérios", disse ele.

A japonesa Fujifilm Holdings e a parceira norte-americana MediVector estão em conversas com a Administração de Alimentos e Drogas (FDA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos para o envio de requerimento para ampliar o uso do favipiravir como tratamento para o Ebola.

A epidemia do Ebola no oeste da África já matou mais de mil pessoas e levou a OMS a declarar uma emergência internacional de saúde.

(Por Kaori Kaneko e Tomo Uetake)

Mais conteúdo sobre:
SAUDEEBOLAJAPAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.