Japoneses não participarão de licitação de TAV no Brasil--Kyodo

Um consórcio de companhias japonesas liderado pela Mitsui não vai participar da licitação brasileira do trem de alta velocidade entre Campinas e Rio de Janeiro, passando por São Paulo, orçado em cerca de 19 bilhões de dólares, publicou a agência Kyodo.

REUTERS

26 de novembro de 2010 | 07h52

O grupo tomou a decisão em meio a incertezas sobre se o projeto será lucrativo durante 40 anos, período em que as empresas teriam responsabilidade na operação, informou a Kyodo no final da quinta-feira, citando fontes não identificadas.

Uma porta-voz da Mitsui afirmou que a empresa não comentará o assunto antes do prazo de 29 de dezembro para a entrega das propostas.

O grupo japonês, que também inclui a Mitsubishi Heavy Industries, Hitachi e Toshiba, pediu ao governo brasileiro para reduzir o peso que ficará sobre o vencedor do projeto, mas o governo não atendeu o pedido, acrescentou a agência.

Companhias da França, Alemanha, Coreia do Sul, Espanha e China expressaram interesse no projeto do trem de alta velocidade brasileiro, informou o governo este ano.

Na quinta-feira, a construtora Camargo Corrêa afirmou que tem interesse em participar do projeto, mas citou incertezas sobre os termos da licitação. Um dia antes, a francesa Alstom afirmou que continua mantendo negociações com o governo "em busca de todas as informações necessárias para tomar a decisão mais adequada".

(Por James Topham)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASMITSUITAV*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.