Javalis são apreendidos em área protegida do Rio

A Secretaria do Ambiente do Rio deflagrou nesta terça-feira uma operação para apreender 316 javalis que vinham sendo mantidos em um criadouro ilegal na Área de Proteção Ambiental de Macaé de Cima, em Nova Friburgo, na Região Serrana. Até o início da tarde, haviam sido apreendidos 96 animais. A expectativa é que o restante dos javalis seja retirado em uma semana.

AE, Agência Estado

29 de novembro de 2011 | 17h58

O criadouro ilegal Yacan Alto-Agronegócio Ltda., situado ao lado do Parque Estadual dos Três Picos, trazia sérios riscos ambientais para o ecossistema da região. Como não existem predadores naturais dos javalis, os animais poderiam comprometer a rica biodiversidade local se invadissem áreas verdes protegidas.

"Era uma bomba biológica. Os javalis iam acabar com o Parque Estadual dos Três Picos, que é a maior unidade de conservação do Estado do Rio de Janeiro", afirmou o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Minc. "Estamos em uma área de proteção ambiental de Macaé de Cima, e o empreendimento estava funcionando sem a licença ambiental do Ibama e do Inea, sendo uma atividade totalmente ilegal."

A operação foi considerada muito complexa pelo coordenador da Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca). Os javalis são uma espécie muito agressiva. Para apreendê-los, os policiais militares montaram cercas para criar corredores até os caminhões. Para atrair os animais, colocaram ração dentro dos veículos. Todos os javalis serão encaminhados para um abatedouro certificado pelo Ibama, no interior de São Paulo.

Posteriormente, suas carnes serão embaladas a vácuo para serem doadas para restaurantes populares e comunidades carentes pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos. O proprietário do criadouro vai responder por crime ambiental.

As informações são da Secretaria do Meio Ambiente.

Tudo o que sabemos sobre:
apreensãojavalisRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.