JMJ agradou ao Vaticano, diz Gilberto Carvalho

O ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, disse na noite deste domingo, 28, que o Vaticano ficou "absolutamente agradecido" ao Brasil pela realização da Jornada Mundial da Juventude. "Conversei com cardeais e seguranças do papa, e todos foram unânimes em reconhecer que o final da Jornada foi a mais bela que eles já viram".

LEONÊNCIO NOSSA, Agência Estado

29 de julho de 2013 | 02h53

Carvalho repetiu o que já havia dito á tarde: que a visita do papa Francisco "sem dúvida" foi uma lição para os políticos. Em rápida entrevista durante a cerimônia de despedida do papa na Base Aérea do Galeão, na zona norte do Rio, Carvalho disse que as palavras do pontífice devem servir de questionamento para os governantes.

O ministro disse que a simplicidade de Francisco contribuiu decisivamente para "o sucesso do evento". Ele também contou que não considera a prefeitura e o governo do Estado do Rio culpados pelos problemas ocorridos em Guaratiba, que seria palco dos eventos finais da Jornada e foi descartada devido à chuva.

Carvalho evitou comentar os constantes protestos promovidos contra o governador Sérgio Cabral (PMDB). "Não vivo no Rio, não tenho motivo para falar de uma coisa dessa". Gilberto relatou que, ao longo desta semana, a presidente Dilma Rousseff (PT) demonstrou muita preocupação com a segurança do papa, mas que ontem estava mais descontraída.

Mais conteúdo sobre:
JMJCarvalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.