Jobim: decisão de OceanAir assumir BRA foi da Anac

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, defendeu a atuação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) na solução da crise da BRA e na participação da solução do problema para os 70 mil passageiros que haviam comprado bilhete da companhia aérea. Segundo Jobim, "a construção da solução" de a OceanAir assumir os vôos da BRA "foi exclusivamente da Anac" e contou que só participou no contato com os presidentes das companhias aéreas. "Mas a negociação e a operação realizada foram da Anac", afirmou o ministro.Questionado se a operação ia funcionar somente nas férias ou se a OceanAir poderia assumir definitivamente a BRA, o ministro respondeu que este era "um problema comercial" e que sequer, naquele momento, tinha examinado o contrato entre as duas empresas. "O fato é que ela (OceanAir) está operando, e que o problema da BRA se resolva ou via OceanAir ou via a própria BRA", disse. O ministro Nelson Jobim defende a necessidade de ampliação do número de empresas aéreas no País, com objetivo de acabar com o duopólio da Gol e da TAM, que detém 86% do mercado."O que nós precisamos é estimular a existência de alternativas dentro de um conjunto de oferta de assentos", declarou. Na semana passada, o ministro Jobim voltou a defender o fortalecimento das empresas regionais e disse que após o retorno de Solange Vieira, a secretária de Aviação Civil, que está em lua de mel, o assunto será mais debatido.

TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

12 de novembro de 2007 | 20h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.