Jobim defende ampliação de voos no Santos Dumont-RJ

Ministro da Defesa disse que a medida não prejudicará o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão)

Pedro Dantas, de O Estado de S. Paulo,

30 Janeiro 2009 | 18h43

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, defendeu nesta sexta-feira, 30, no Rio a abertura do Aeroporto Santos Dumont para voos entre capitais e anunciou que discutirá na próxima semana o assunto com o governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB). Jobim disse que a medida não prejudicará o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão). "Acredito que não haverá prejuízo. Meu entendimento é que quando se fechou o Santos Dumont não houve crescimento de voos no Galeão. A solução para o Galeão é a abertura para mais voos internacionais e conexões nacionais", afirmou o ministro.  O diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Marcelo Pacheco dos Guaranys, já havia anunciado este mês o plano para liberar o Aeroporto Santos Dumont, no Rio, aos voos diretos entre capitais em meados de março. No entanto, o secretário estadual de Desenvolvimento do Rio, Júlio Bueno, afirmou na ocasião que o governo fluminense poderia entrar na Justiça para que se preserve a atual condição do aeroporto: ponte aérea e voos regionais. "A verdade é que aqueles que pretendem ter destino exclusivamente no Rio, e não ir para outros lugares, preferem, evidentemente, o Santos Dumont. Nesse ponto, temos um problema: qual o interesse a ser atendido? O interesse do usuário ou os interesses das disputas entre os dois aeroportos?", questionou Jobim. O ministro garantiu que a abertura não prejudicará o plano de concessão para o Tom Jobim, cujo modelo, segundo ele, ficará pronto em junho e será utilizado para Aeroporto de Viracopos, em Campinas, e para o novo aeroporto de São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.