Jobim defende Infraero, mas cobra resultados da estatal

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, defendeu hoje a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), mas reforçou a necessidade de a estatal apresentar resultados. "Queremos resultados e a Infraero vai responder com competência", disse Jobim no encerramento do encontro de dirigentes da empresa. Ele falou ainda da necessidade de o sistema brasileiro ligado à aviação ser montado tendo como parâmetro a necessidade dos passageiros. "Essa é a razão pela qual existimos." O ministro lembrou que a Infraero "estava sendo massacrada pela mídia" e por causa do caos aéreo, a empresa virou "alvo de depreciações". "Agora, temos condições de recuperar a imagem", afirmou. De acordo com ele, a Infraero foi "objeto de um conjunto de manipulações durante um certo tempo". Jobim lembrou que o maior problema identificado foi o de autonomia funcional de cada órgão ligado ao setor aéreo. "Agora há uma interação."Ele lembrou que hoje se tem 1.950 movimentos diários nos aeroportos e que esse movimento poderá chegar a 2100. "Não temos condições ainda de responder a essa demanda de crescimento", reconheceu. O ministro explicou que "felizmente, a Infraero já está começando a responder a esse problema com as medidas que vem adotando".Vôo 3054O ministro se reuniu hoje também com os familiares da vítima do acidente da TAM, em julho do ano passado. Segundo parlamentares que participaram do encontro, Jobim assegurou que até junho o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes (Cenipa) terá concluído o relatório sobre as causas do acidente com o Airbus da TAM, que deixou 199 mortos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.