Jobim: desmilitarização do controle aéreo será discutida

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, anunciou hoje, pela primeira vez, que discutirá a questão da desmilitarização dos serviços de controle do tráfego aéreo civil. A polêmica sobre a medida - principal reivindicação dos controladores - estava encerrada desde que o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, assumiu o cargo em fevereiro, e se declarou contrário ao projeto de desmilitarização do setor, defendida pelo ex-ministro Waldir Pires. "Vamos abrir essa discussão, se é caso de desmilitarização, ou não, do controle aéreo", declarou Jobim, em entrevista à Rádio Nacional.Ele ressaltou que "essas coisas não se fazem no afogadilho" e que é preciso discutir o tema "com tranqüilidade, com absoluta paciência para entender o problema do controle aéreo." Jobim disse que não tem "ponto de vista formado sobre o assunto" e que examinará a questão e levará para a pauta de discussão a possibilidade do sistema ficar nas mãos de civis e a defesa do espaço aéreo, com os militares.Segundo o ministro, essa separação depende de mudanças nos Centros Integrados de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindactas). Jobim comentou que, "hoje, o ambiente de trabalho é o mesmo. O ambiente onde se fiscaliza a defesa do espaço aéreo e se decide sobre a circulação da aviação civil no País é o mesmo", contou.

TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

04 de outubro de 2007 | 14h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.