Jobim diz que tecnologia afasta russos da concorrência de jatos

A parceria militar entre Brasil e Rússia tem dificuldades de avançar porque o governo russo não aceita transferir tecnologia, disse na sexta-feira o ministro da Defesa, Nelson Jobim.

FERNANDO EXMAN, REUTERS

14 de maio de 2010 | 12h00

Ele integra a comitiva liderada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva que viajou à Rússia. Durante a visita, foi assinado um plano de ação para a agenda bilateral que prevê maior cooperação entre os dois países no setor. Segundo Jobim, no entanto, não há o fechamento de novos negócios.

"Eles não transferem tecnologia", disse Jobim a jornalistas.

A Rússia entrou na concorrência promovida pelo governo brasileiro para a compra de novos caças para a Aeronáutica, mas não passou para a fase final da licitação.

"A desclassificação deles do FX2 foi por causa disso (falta de transferência de tecnologia)", comentou o ministro da Defesa, sem citar um prazo para o anúncio da escolha pelo governo.

Além do Rafale, da Dassault, também estão na disputa para fornecer 36 caças à Força Aérea Brasileira a norte-americana Boeing, com o F-18 Super Hornet, e a sueca Saab, com o Gripen.

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAJOBIMRUSSIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.