Jobim fala com empresas para evitar greve do setor aéreo

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, conversou hoje com representantes das empresas aéreas e trabalhadores do setor, pedindo que façam um esforço adicional com o objetivo de evitar a greve marcada para amanhã.

EQUIPE AE, Agência Estado

22 de dezembro de 2010 | 19h25

Segundo nota divulgada pela assessoria do ministério, na manhã de hoje Jobim conversou, por telefone, com o presidente da Federação Nacional de Aeronautas, Aeroviários e Aeroportuários (FNAAA), Celso Klafk; e depois se reuniu com o presidente da TAM, Líbano Barroso. Jobim também conversou hoje, por telefone, com o presidente da Gol, Constantino de Oliveira Júnior.

Na tarde de hoje, no Palácio do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que havia conversado com Jobim e com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, para que trabalhassem para evitar uma crise no sistema aéreo neste final de ano.

Com Klafk, Jobim conversou hoje sobre o andamento das negociações entre empresas e trabalhadores e recebeu o relato sobre a falta de acordo na rodada de negociação salarial realizada ontem. Na reunião com Barroso, estavam presentes também a diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Solange Vieira, o presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), Murilo Marques Barboza, a secretária de Aviação Civil, Fabiana Todesco, e o consultor jurídico do Ministério da Defesa, Vilson Marcelo Malchow.

Nas conversas com Líbano Barroso e Constantino Júnior, o ministro manifestou a preocupação do governo com o risco de paralisação do transporte aéreo às vésperas do Natal. O ministro pediu que as empresas reforçassem os esforços de promover o entendimento com os empregados. Segundo o ministério, Jobim recebeu sinalização positiva dos empresários.

O Ministério da Defesa já determinou à Infraero e à Anac o reforço das medidas de contingência preparadas para o período de férias, quando naturalmente ocorre aumento do número de passageiros. Foi solicitado também às autoridades policiais o estabelecimento de um esquema preventivo de segurança para garantir a ordem nos aeroportos, assegurar a segurança dos passageiros e o patrimônio público da estrutura aeroviária e aeroportuária.

Tudo o que sabemos sobre:
grevesetor aéreoNelson Jobim

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.