Jobim inicia na segunda-feira inquérito contra Anac

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, informou que assinará na segunda-feira portaria para instauração de inquérito que investigará o repasse pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) de documentos sem validade à Justiça para a liberação do Aeroporto de Congonhas de São Paulo. Jobim disse que espera que o inquérito fique pronto em menos de 30 dias, embora o prazo normal seja de 60 dias.Questionado se a questão envolveria somente a diretora da Anac, Denise Abreu, que encaminhou pessoalmente os documentos ao Tribunal Regional Federal de São Paulo, Jobim disse que "o problema em relação a doutora Denise é que foi ela que esteve junto com a juíza" no tribunal. "Os outros integrantes da Anac não estiveram", lembrou. Segundo o ministro, no caso de Denise Abreu, a desembargadora Cecília Marcondes do TRF de São Paulo narrou claramente que a diretora da Anac esteve presente no momento da entrega da documentação à Justiça. "Se houver responsabilidade é da pessoa a quem foi delegada".Perguntado sobre a possibilidade de afastamento preventivo de Denise, o ministro disse que isso só será decidido depois da abertura do inquérito. "Afastamento preventivo só depois de abertura do processo. Não vamos resolver isso por hora", afirmou. Sobre a resistência de Denise de se afastar do cargo, Jobim disse que isso "é problema dela, não meu". "O meu problema é examinar a questão a partir da perspectiva legal, não a partir da vontade das pessoas".

TÂNIA MONTEIRO, Agencia Estado

24 de agosto de 2007 | 13h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.