Jobim ironiza Zuanazzi e diz que crise acaba em 15 de março

No entanto, ministro da Defesa admite que passageiros vão enfrentar problemas durante as férias de fim de ano

Tânia Monteiro, do Estadão,

31 de outubro de 2007 | 14h36

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, foi irônico ao comentar a saída de Milton Zuanazzi da diretoria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e afirmou que a crise aérea vai terminar no dia 15 de março de 2008. Em entrevista nesta quarta-feira, 31, Zuanazzi disse que decidiu deixar o cargo porque não gostaria de trabalhar com o ministro.   Zuanazzi anuncia demissão e critica JobimGovernistas excluem 9 de relatório final da CPI do Apagão AéreoEspecial sobre um ano de crise aérea Todas as notícias sobre a crise aérea   "A partir de 15 de março, quando se encerra o período de alta, os problemas estarão resolvidos", disse Jobim a jornalistas ao deixar audiência na Câmara dos Deputados. Até lá, segundo o ministro, durante as férias de fim de ano, os passageiros poderão enfrentar problemas, "de conforto, mas não de segurança". "Nas férias de fim de ano pode ter problema de conforto, não de segurança. Podemos ter alguns problemas de regularidade, tanto é que estamos revendo a malha aérea", disse o ministro. Ironias a Zuanazzi  "O senhor Milton Zuanazzi disse que não gosta de trabalhar comigo e efetivamente não vai, porque nosso trinômio é segurança, regularidade e pontualidade. E se não servia esse método, então viramos a página", disse Jobim. "Vamos agora recompor a Anac e a efetiva articulação entre os três pilares do sistema, Decea, Infraero e Anac", completou o ministro, ao sair da audiência pública na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara.   Apesar das inúmeras críticas ao ex-presidente da agência, Jobim agradeceu a Zuanazzi por ter saído somente agora, para não deixar a agência acéfala, conforme alegou o diretor demissionário. Para Jobim, esse assunto está superado. Ele disse que na recomposição da diretoria da Anac falta alguém que cuide de questões externas e reafirmou que quer que a secretária de Aviação Civil, Solange Paiva, na presidência da agência. (Com informaçoes da Reuters.)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.