Jornalistas do O Globo são recebidos a tiros na Rocinha

Uma equipe de reportagem do jornal O Globo foi recebida a tiros na manhã desta sexta-feira, 21, quando chegava à favela da Rocinha, na zona sul do Rio, informou o site do jornal. Repórter e fotógrafo não foram atingidos e estão bem, mas foram obrigados a deixar a comunidade.

Estadão Conteúdo

21 Novembro 2014 | 16h37

Os jornalistas pretendiam fazer uma reportagem sobre o alargamento da Rua 2 e as consequentes desapropriações previstas nas obras da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2), segundo o relato publicado no site. Durante os disparos, ocorridos por volta das 9h na região conhecida como Via Ápia, a associação de moradores da Rocinha fechou as portas, forçando a equipe a buscar abrigo em uma loja, informa O Globo.

Após cinco minutos de tiros, de acordo com o jornal, um homem bateu na porta do estabelecimento ordenando a saída dos repórteres da comunidade. A associação de moradores da Rocinha informou ao jornal carioca que fechou por questão de segurança e que os tiroteios são regulares na comunidade.

De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, após a saída dos jornalistas houve um confronto entre policiais e criminosos e uma granada foi apreendida, relata o texto publicado no site.

Procurada pela reportagem, a direção de redação do Globo divulgou um posicionamento: "Nossa orientação para os repórteres é que sempre garantam, em primeiro lugar, sua segurança pessoal e que não corram risco em hipótese alguma. Ameaças, porém, jamais afastarão o jornalismo do Globo da busca por notícias." Os dois jornalistas estão bem e trabalhavam normalmente na tarde deste sexta, informou a direção.

Mais conteúdo sobre:
violência Rio Rocinha jornalistas tiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.