Jovem diz ter ficado 6 anos em cárcere privado em Goiás

Adolescente teria 13 anos de idade quando foi aprisionada no porão do bar por homem de 61 anos

Rubens Santos, de O Estado de S. Paulo,

14 de fevereiro de 2008 | 20h38

A Delegacia da Mulher de Goiás investiga um caso insólito de cárcere privado. Uma jovem de 19 anos de idade procurou a polícia na semana passada para denunciar que foi estuprada e mantida presa nos últimos seis anos por um comerciante de 61 anos de idade, dono de um bar na cidade de Luziânia (GO).   Segundo a delegada Dilamar de Souza a jovem teria 13 anos de idade quando foi aprisionada no porão do bar. Entre paredes mofadas, chão úmido e pouca ventilação, além de sofrer seguidos estupros, ela teria tido dois filhos. Um deles teria sido morto pelo comerciante e seu corpo teria sido enterrado no quintal.Nesta quinta-feira, 14, a polícia fez levantamentos para localizar a ossada do bebê. A outra criança, uma menina de 5 anos, está com a mãe. Um dos detalhes que mais chama atenção no caso é o fato de os vizinhos terem ignorado a situação da menina durante tantos anos.     A delegada explicou que, durante a tomada do depoimento, a menina contou que conseguiu escapar do cativeiro, na semana passada, após um tiroteio no bar, quando o comerciante teria sido alvejado. No momento em que ele estaria sendo levado para o hospital, ela teria percebido que a porta do porão estava aberta e fugiu, e foi à delegacia em busca de proteção.

Tudo o que sabemos sobre:
cárcere privado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.