Jovem é esfaqueado após discussão pela internet em São Paulo

Durante uma conversa no MSN, colegas trocaram ofensas e um ameaçou ao outro; vítima passa bem

Simone Menocchi, de O Estado de S.Paulo,

17 de março de 2008 | 18h22

Um bate-papo pela internet quase terminou em morte no fim de semana em Guaratinguetá, no interior do Estado. Um jovem de 16 anos foi ferido com nove golpes de faca pelo corpo depois de discutir com um colega pelo MSN. O crime aconteceu na casa da vítima na manhã de domingo, 16.   Três dias antes, o adolescente, que teve o nome preservado pela polícia, estava conversando com o colega Cleiber Rodrigo dos Santos, de 20 anos, quando começaram algumas ofensas pessoais. O adolescente foi xingado por Cleiber e respondeu aos palavrões, conduzindo a ofensa para a irmã do colega. Cleiber e o cunhado, Wellington Maciel dos Santos, de 22 anos, ameaçaram o adolescente durante a conversa, mas a vítima não deu atenção às ameaças.   "Meu filho contou que não acreditou nas ameaças e ficou tranqüilo, não tendo dado importância àquela conversa", relatou a mãe do adolescente, que preferiu também ficar no anonimato, com medo de novas represálias. A conversa pela internet aconteceu na noite de quinta-feira, 13.   Na manhã do último domingo, Cleiber e Wellington foram à casa da vítima e quando a mesma atendeu ao chamado, foi rendido pela dupla e agredido. "Eu ouvi os gritos e vi meu filho deitado levando as facadas. Entrei no meio e fui ameaçada também". A briga também chamou a atenção dos vizinhos e os agressores acabaram fugindo do local.   Pouco tempo depois a Polícia Militar conseguiu identificar os jovens, que acabaram presos. Na delegacia eles confessaram o crime e disseram que tinham a intenção de matar. "Eles disseram que estavam com ânimo para matar o adolescente por causa das ofensas, por isso, vão responder por tentativa de homicídio", relatou o delegado seccional de Guaratinguetá, José Antonio de Paiva Gonçalves. A dupla está presa na cadeia da cidade e se condenada pode pegar de dois a seis anos de prisão.     O adolescente foi socorrido, levou pontos por todo o corpo e passa bem. Segundo a mãe dele, por sorte, nenhum golpe de faca atingiu os órgãos vitais.

Tudo o que sabemos sobre:
MSNGuaratinguetá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.