Jovem é morta por engano pela PM durante perseguição no PR

Rafaele, de 20 anos, levou tiro na cabeça; policiais buscavam carro que fugiu de bloqueio na estrada

Michelly Teixeira, da Agência Estado,

13 Julho 2008 | 18h06

Uma jovem de 20 anos foi morta acidentalmente na madrugada deste domingo, 13, durante perseguição policial no município de Porto Amazonas, no Paraná. Rafaele Ramos Lima foi atingida por um tiro na altura da cabeça, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. O outro ocupante do veículo, Diogo Soldi, que dirigia o carro, foi encaminhado para um hospital em Curitiba. Na semana passada, João Roberto Amorim Soares, de 3 anos, foi morto durante uma perseguição policial no Rio de Janeiro.    Pai de jovem ferido durante perseguição fala em 'execução'   Por volta das 4 horas, uma equipe do Posto da Polícia Rodoviária de São Mateus do Sul foi acionada para realizar um bloqueio policial na rodovia PR 427. Os policiais deviam deter um veículo que teria furado bloqueios anteriores nas cidades paranaenses de Lapa e São Mateus do Sul. Pelos relatos de policiais, o veículo onde estava Rafaele foi confundido com o de suspeitos que estavam fugindo da polícia.     A Polícia Militar do Paraná perseguia um Celta ou um Palio preto que havia furado três bloqueios, disparado contra viaturas e seguido em alta velocidade pela contramão. Quando o veículo perseguido furou o bloqueio em Porto Amazonas, um outro carro apareceu e colidiu com uma viatura. Foi quando a polícia, pensando se tratar de mais um integrante de uma possível quadrilha, atirou contra o automóvel ocupado pelos jovens. "Só depois perceberam se tratar de um Gol preto, ocupado por casal que havia colidido acidentalmente com a viatura", afirma a polícia em nota.Mais tarde, equipes encontraram o provável veículo foragido, um Fiat Palio abandonado com cigarros vindos do Paraguai em seu interior. A Polícia Militar do Paraná enviou comunicado para dizer que lamenta o ocorrido e solicitou acompanhamento direto do Ministério Público Estadual no procedimento administrativo que apura o que ocorreu quando policiais militares perseguiam um veículo suspeito na região. Os dois policiais envolvidos diretamente na ação estão recolhidos em Ponta Grossa. As armas foram apreendidas e enviadas para perícia.

Mais conteúdo sobre:
Paranácarro baleadoPM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.