Jovem é multado por mostrar vídeo de professor no YouTube

Garoto de 15 anos postou filme do professor cantando em uma festa da escola e terá de pagar US$ 1 mil

Reuters

24 Agosto 2007 | 17h06

Um tribunal da Finlândia decidiu contra um estudante de 15 anos que publicou no site YouTube um vídeo de seu professor cantando na escola. O jovem foi condenado a pagar 800 euros (US$ 1.085) em danos e 90 euros de multa.   Veja também:  Justiça retoma proibição de vídeo de Cicarelli  Vídeo questionando inteligência de Bush vira hit no YouTube   O estudante filmou seu professor cantando em uma festa da escola em maio e publicou as imagens no site sob o título em inglês "Karaoke of the mental hospital" ("Karaokê do hospício").   O professor levou o garoto para o tribunal e pediu uma indenização de 2 mil euros.   Esta é a primeira vez que um tribunal da Finlândia decide contra alguém baseado em um vídeo publicado na internet.   O tribunal afirmou que ordenou o pagamento de uma quantia menor de danos porque o acusado tem menos de 18 anos e removeu o vídeo do site após pedido do diretor do colégio.   Semelhança   No Brasil, uma disputa semelhante ainda não teve decisão final da Justiça. O YouTube foi proibido de hospedar um vídeo da apresentadora Daniela Cicarelli com seu namorado em uma praia na Espanha. O filme foi liberado, mas proibido novamente dias depois.   O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo decidiu vetar a divulgação de fotos e vídeos do namoro do casal na praia espanhola, que ficou mundialmente conhecido quando cópias apareceram no site de compartilhamento de vídeos.   O namorado da apresentadora e Cicarelli pediam uma indenização ao YouTube pela exibição do vídeo com as cenas quentes. Mas a Justiça julgou o processo como improcedente, dando ganho de causa aos réus do processo, incluindo o YouTube e outros meios de comunicação.   Desde então, várias novas cópias do arquivo foram postadas no portal de vídeos. Representantes do casal já haviam dito que iriam recorrer da decisão.

Mais conteúdo sobre:
YouTube Justiça Cicarelli

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.