JPMorgan eleva recomendação de ações do Brasil para 'neutra'

O JPMorgan elevou nesta segunda-feira sua recomendação para ações brasileiras para "neutra", de "underweight" (desempenho abaixo da média do mercado), com uma melhora no ambiente político.

Reuters

11 de março de 2013 | 16h24

"Depois de um período prolongado de fracas políticas, o governo anunciou algumas políticas amigáveis ao mercado. O aumento do preço do diesel pode indicar uma abordagem mais livre", afirmaram os analistas do banco liderados por Emy Shayo Cherman, em relatório, referindo-se ao recente reajuste do combustível pela Petrobras.

A equipe do JPMorgan citou ainda melhores condições para as concessões de rodovias e ferrovias, termos mais favoráveis para investimentos em portos, um Banco Central mais ortodoxo --com um foco renovado na inflação-- e menos pressão política sobre os bancos para reduzirem as taxas de juros e os spreads.

O JPMorgan ressaltou que também elevou a recomendação para o Brasil influenciado pelo recente rali na China.

Entre os setores brasileiros, os analistas demonstraram preferência por bancos, em detrimento de energia.

Considerando os possíveis riscos no Brasil, o JPMorgan destacou um possível fraco crescimento econômico com inflação persistente.

(Por Roberta Vilas Boas)

Tudo o que sabemos sobre:
FINANCASJPMORGANBRASIL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.