Juiz decreta prisão de 4 PMs por morte de engenheira

O juiz Fábio Uchôa, do 1º Tribunal do Júri, decretou hoje a prisão de quatro policiais militares acusados de envolvimento no desaparecimento da engenheira Patrícia Franco. Os quatro foram denunciados pelo Ministério Público Estadual por ocultação do corpo da moça e dois deles, pelo assassinato. A decisão foi tomada um ano e dez dias depois de Patrícia ter desaparecido, aos 24 anos, quando voltava para casa, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade.

FELIPE WERNECK, Agencia Estado

24 de junho de 2009 | 20h55

Em laudo de 109 folhas, dez peritos concluíram que o carro dela foi atingido por pelo menos três tiros (dois no capô e um no para-brisa dianteiros): um partiu da pistola calibre .40 usada por um dos policiais acusados, e os outros dois de armas calibre 380 não identificadas. Patrícia desapareceu na madrugada de 14 de junho de 2008, quando voltava de uma festa na zona sul. O corpo da engenheira ainda não foi localizado. Os PMs acusados são: Marcos Paulo Nogueira Maranhão, Willian Luis do Nascimento, Fábio da Silveira Santana e Márcio Oliveira dos Santos. Os dois primeiros foram denunciados também por homicídio. Todos negam os crimes.

Mais conteúdo sobre:
violênciaRJengenheiraPM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.