Juiz decreta prisão de 4 PMs por morte de engenheira

O juiz Fábio Uchôa, do 1º Tribunal do Júri, decretou hoje a prisão de quatro policiais militares acusados de envolvimento no desaparecimento da engenheira Patrícia Franco. Os quatro foram denunciados pelo Ministério Público Estadual por ocultação do corpo da moça e dois deles, pelo assassinato. A decisão foi tomada um ano e dez dias depois de Patrícia ter desaparecido, aos 24 anos, quando voltava para casa, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade.

FELIPE WERNECK, Agencia Estado

24 Junho 2009 | 20h55

Em laudo de 109 folhas, dez peritos concluíram que o carro dela foi atingido por pelo menos três tiros (dois no capô e um no para-brisa dianteiros): um partiu da pistola calibre .40 usada por um dos policiais acusados, e os outros dois de armas calibre 380 não identificadas. Patrícia desapareceu na madrugada de 14 de junho de 2008, quando voltava de uma festa na zona sul. O corpo da engenheira ainda não foi localizado. Os PMs acusados são: Marcos Paulo Nogueira Maranhão, Willian Luis do Nascimento, Fábio da Silveira Santana e Márcio Oliveira dos Santos. Os dois primeiros foram denunciados também por homicídio. Todos negam os crimes.

Mais conteúdo sobre:
violênciaRJengenheiraPM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.