Juiz espanhol é suspenso por impedir lésbica de adotar

Juiz católico foi condenado por embaraçar ilegalmente o processo de adoção do filho da parceira

Associated Press,

23 Dezembro 2008 | 15h09

Um tribunal espanhol informa que um juiz foi suspenso por tentar impedir uma mulher de adotar o filho de sua parceira lésbica.   Países impedem adoção internacional por solteiros e gays   A Corte Superior de Justiça da região de Múrcia diz ter suspendido o juiz Fernando Ferrin Calamita por dois anos. A corte ordenou que o magistrado católico indenize a mulher em US$ 8.400.   A mulher vinha tentando adotar a criança, dada à luz por sua parceira depois que ambas se casaram, em 2005.   A decisão judicial diz que o juiz Ferrin ignorou a lei espanhola que autoriza homossexuais a adotar crianças e mostrou desrespeito pela orientação sexual da mulher, ao tratar de seu pedido.   Ferrin diz que vai apelar da suspensão, e que apenas levava em consideração  os interesses da criança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.