Juiz pede nova análise de laboratório de superdoenças dos EUA

Um juiz ordenou nova análise ambiental de um projeto de laboratório de pesquisa biológica, dizendo que os julgamentos anteriores não consideraram adequadamente locais alternativos, nem levaram em conta os piores cenários. O juiz da Corte Superior de Suffolk, Ralph D. Gants, disse que a decisão do Escritório Executivo de Assuntos Ambientais do Estado, de aprovar o laboratório da Universidade de Boston (BU), "foi arbitrária e caprichosa", e "lhe faltou a base racional necessária", em um relatório divulgado na quinta-feira.O laboratório, chamado de Laboratório Nacional de Doenças Infecciosas Emergentes, seria parte de um grupo nacional de instalações que conduziriam pesquisas sobre alguns dos mais perigosos germes e vírus do mundo, como o Ebola e o vírus do Oeste do Nilo.A universidade quer construir o laboratório no bairro de South End, provocando controvérsia entre cientistas, ambientalistas e ativistas da comunidade.Os opositores do laboratório entraram com um pedido judicial em maio, alegando que os reguladores analisaram de maneira imprópria e aprovaram o plano da BU para construir o laboratório em um bairro urbano densamente povoado. O processo, que está pendente, quer impedir o governo federal de doar US$128 milhões em recursos para o projeto até que o Instituto Nacional de Saúde realize aquilo que os opositores chamam de uma análise apropriada dos riscos do laboratório.A decisão de Gants não interrompe explicitamente a construção do projeto, que recebeu a aprovação final do Instituto Nacional de Saúde em fevereiro. Porém, ela suspende algumas licenças expedidas pela cidade e pelo Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.