Juíza declara aberto julgamento do ex-goleiro Bruno

Com 40 minutos de atraso, a juíza Marixa Rodrigues declarou aberto o julgamento do ex-goleiro do Flamengo Bruno Fernandes de Souza, de 28 anos, e de sua ex-mulher Dayanne dos Santos, nesta segunda-feira, no Fórum de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O ex-goleiro é acusado de mandar matar sua amante, a modelo Eliza Samudio, em junho de 2010, com quem teve um filho. Dayanne é acusada de subtração de incapaz ao cuidar do filho de Bruno com a modelo durante parte do período em que ela teria sido mantida em cativeiro no sítio de Bruno, em Esmeraldas, também na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

ALINE RESKALLA E MARCELO PORTELA, Agência Estado

04 de março de 2013 | 10h30

Depois do sorteio dos sete jurados entre os 25 convocados, dos quais apenas 15 compareceram, deve começar em instantes o depoimento das testemunhas. Serão ouvidas cinco para defesa e cinco para a acusação de cada um dos acusados. Bruno e Dayanne falarão na sequência. Não há limite de tempo nesta fase do julgamento. De acordo com a assessoria do Fórum de Contagem, existe a possibilidade de que os depoimentos sejam concluídos ainda nesta segunda-feira.

Em seguida, a promotoria terá duas horas para expor seus argumentos, enquanto a defesa de cada um dos réus terá uma hora. Esse tempo pode ser prorrogado em mais duas horas para réplica e outras duas para tréplica. Terminada esta etapa, os jurados se reúnem para dar o veredicto para que a juíza possa, caso haja condenação, definir a sentença. A previsão do Fórum de Contagem é de que o processo dure de três a cinco dias.

O julgamento começa em meio a uma nova investigação, do suposto envolvimento de dois policiais no crime. Também é grande a expectativa em relação à divulgação, pela promotoria, das informações obtidas com a quebra do sigilo bancário do goleiro. Esses dados podem confirmar ou desmascarar a versão de Bruno, de que teria dado R$ 30 mil a Eliza Samudio antes que ela fosse embora, espontaneamente segundo ele, em um táxi. Caso seja declarado culpado, o ex-goleiro do Flamengo pode pegar até 41 anos de prisão.

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Brunojulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.