Juíza solta bombeiros flagrados em seqüestro no Rio

Os soldados do Corpo de Bombeiros Tito Lívio de Paula Franco e Antônio Lázaro Silva França, flagrados por um fotógrafo quando tentavam seqüestrar o empresário M.A.S. no dia 15 de agosto, na Barra da Tijuca, foram soltos hoje pela juíza federal Rosália Monteiro Figueira, da 1ª Vara Federal Criminal do Rio, que concedeu liberdade provisória à dupla. Usando roupas falsas da Polícia Federal (PF), os dois foram fotografados agredindo, algemando e tentando colocar o empresário dentro de um carro preto equipado com um giroscópio. Na ocasião, a dupla roubou R$ 30 mil da vítima. "É lamentável. O delegado aposentado que comandava o grupo está foragido, e agora os outros dois acusados foram soltos. Meu cliente está acuado, anda com seguranças e agora me informou que vai reforçar os cuidados", disse a advogada do empresário, Rossana Nogueira Barbosa. Em seu despacho, a juíza afirma que os acusados estão "devidamente identificados, têm atividade lícita (são servidores do Corpo de Bombeiros), comprovam que têm suas residências e família constituída". Ela acrescenta que não há provas de que os dois irão "ameaçar, causar dano ou perturbar a ordem pública", assim como não há evidências de que eles "estão querendo evadir-se". Rosália estabelece que a única obrigação dos bombeiros será comparecer mensalmente em juízo a partir de 3 de dezembro para "justificar suas condutas sociais". O delegado aposentado da PF Paulo Sérgio Cardoso Figueiredo, de 57 anos, fugiu da Polinter de Campo Grande, em 27 de setembro.

PEDRO DANTAS, Agencia Estado

13 de novembro de 2007 | 18h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.