Júri de motoboy acusado de matar cunhada é retomado

De acordo com o Ministério Público, Sandro Dota assassinou Bianca Consoli porque ela se recusava a ter relação sexual com ele

Agência Estado

16 de setembro de 2013 | 15h21

O júri do caso Bianca Consoli, morta em 13 de setembro de 2011, foi retomado nesta segunda-feira, 16, em São Paulo com a expectativa de que o motoboy Sandro Dota, acusado de estuprar e matar a cunhada, voltará a confessar parte dos crimes. No dia 14 de agosto foi divulgada uma carta em que o motoboy assume o assassinato da estudante, mas nega o abuso sexual. A defesa anexou o documento ao processo.

De acordo com o Ministério Público, Dota assassinou a cunhada porque ela se recusava a ter relação sexual com ele. A principal prova da acusação são vestígios de pele sob as unhas do corpo de Bianca Consoli.

De acordo com a perícia, o exame de DNA mostrou que a amostra era compatível com o suspeito. Também foi encontrada uma mancha de sangue em uma calça do acusado. A acusação tenta demonstrar que a vítima tentou se proteger quando saía do banho e lesionou a perna do réu. Bianca Consoli, então com 19 anos, foi encontrada pela mãe já morta no chão. A causa seria asfixia provocada por uma sacola plástica.

Mais conteúdo sobre:
MOTOBOYJULGAMENTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.