Justiça confirma reeleição do presidente Paul Biya em Camarões

O presidente de Camarões, Paul Biya, foi reeleito por uma já esperada ampla margem, segundo resultados divulgados nesta sexta-feira pela Suprema Corte, apesar das queixas de fraude da oposição.

TANSA MUSA, REUTERS

21 Outubro 2011 | 18h09

Biya, de 78 anos, recebeu 77,9 por cento dos votos, numa disputa que envolveu mais de 20 candidatos de oposição. Depois de 29 anos no poder, ele tem condições de permanecer no cargo por pelo menos mais 7 anos.

O presidente da Suprema Corte, Alexis Dipanda Mouelle, anunciou a vitória de Biya ao final de uma maratônica leitura dos resultados, que durou oito horas.

Candidatos da oposição, inclusive o oposicionista John Fru Ndi, da Frente Social Democrática, que obteve 10 por cento dos votos, pediram à Justiça que anule os resultados e marque uma nova votação devido a suspeitas de fraudes.

Eles alertaram para a realização de protestos caso seus pedidos sejam ignorados, mas a Corte Suprema rejeitou o recurso na quinta-feira.

Camarões, quinto maior produtor mundial de cacau, é um celeiro regional, fornecendo alimentos para Chade, República Centro-Africana, República do Congo e Gabão. Um oleoduto vindo do Chade também passa pelo seu território.

Mas seu crescimento econômico está aquém do de alguns vizinhos, e a mídia e a oposição local criticam Biya por permitir a corrupção, a burocracia e o nepotismo.

Um dos mais antigos governantes africanos na ativa, Biya alterou a Constituição em 2008 para eliminar os limites à reeleição, o que gerou vários dias de distúrbios nas ruas.

(Reportagem adicional de George Fominyen, em Dacar)

Mais conteúdo sobre:
CAMAROES ELEICAO BIYA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.