Justiça decreta prisão de acusado matar sobrinho

A Justiça do Rio decretou nesta quinta-feira a prisão temporária de Marcelo da Conceição, de 31 anos, acusado de estuprar e matar a pedradas o sobrinho Pedro Lucas Barreto da Conceição, de 9, em Rio Bonito, no interior do Estado do Rio. O mandado de prisão foi expedido nesta sexta-feira, e Conceição já é considerado foragido. O caso chocou a pacata Rio Bonito, cidade que possui cerca de 60 mil habitantes e que fica a 80 quilômetros da capital.

MARCELO GOMES, Agência Estado

05 de julho de 2013 | 15h57

A Justiça também determinou a internação provisória, no Instituto Padre Severino, na zona norte do Rio, do adolescente de 14 anos acusado de participação no crime.

Segundo a denúncia do Ministério Público, o menor teria obrigado a vítima a manter relações sexuais com ele e com seu comparsa. Além disso, o menor, que, juntamente com o tio de Pedro, teria torturado e causado a morte do menino a pedradas, afirmou que Marcelo da Conceição seria membro de uma perigosa quadrilha de traficantes de drogas. A audiência do menor foi marcada para o próximo dia 9.

De acordo com o Ministério Público, a vítima foi violentada e morta no fim da tarde da última quarta-feira, 3, na Favela do Rato Molhado, no bairro Basílio. Segundo o delegado Paulo Henrique Pinto, da 119ª Delegacia de Polícia (Rio Bonito), o adolescente confessou ter participado da morte de Pedro. O rapaz contou que apenas ajudou Marcelo da Conceição, que decidiu matar o próprio sobrinho para se vingar do pai dele.

"Segundo testemunhas, Pedro estava soltando pipa com amigos quando o tio e o menor o pegaram à força e o levaram para o alto do morro. A vítima foi torturada, estuprada e estrangulada. Depois disso tudo, como Pedro continuava vivo, os assassinos pegaram uma pedra e esmagaram sua cabeça até matá-lo. Foi um crime bárbaro, com requintes de crueldade", afirmou o delegado.

Os dois acusados foram indiciados por homicídio qualificado, tortura e estupro. O adolescente de 14 anos tem passagem pela polícia por tráfico de drogas. Se condenado, pode ficar até três anos internado numa instituição para menores infratores. Marcelo da Conceição tem duas anotações por tráfico. Caso seja considerado culpado pelas acusações, a pena poderá chegar a 50 anos de prisão.

Mais conteúdo sobre:
ViolênciacriançaRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.