Justiça do Bahrein condena 8 ativistas à prisão perpétua

Oito ativistas xiitas de oposição ao governo foram condenados hoje à prisão perpétua no Bahrein, por "tramarem para derrubar" a monarquia sunita, de acordo com sentença proferida por um tribunal especial de segurança do país. A informação foi divulgada pela agência estatal de notícias BNA. O Tribunal de Segurança Nacional, de primeira instância, também condenou outros 13 ativistas à prisão, com penas entre 2 e 15 anos por acusações similares, segundo a BNA.

AE, Agência Estado

22 Junho 2011 | 08h27

Os punidos com a prisão perpétua foram o importante líder político xiita Hassan Mushaima, o ativista xiita Abduljalil Al Singace e seis outras pessoas. Segundo a agência, Ibrahim Sharif, que defende reformas, recebeu pena de cinco anos. No total, 21 suspeitos foram julgados - 14 estão detidos e os outros foram julgados "in absentia" (em ausência), pois estão foragidos. O Bahrein tem reprimido os protestos liderados pelos xiitas por reformas sociais. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.