Justiça do Rio aceita denúncia contra sócio do Canecão

A 5ª Vara Criminal do Rio aceitou denúncias de falsidade ideológica e estelionato qualificado contra Priolli

Fabiana Cimieri, Agencia Estado

25 de fevereiro de 2008 | 18h54

A 5ª Vara Criminal do Rio aceitou hoje uma denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o empresário Mário Hamilton Priolli, principal sócio da casa de espetáculos Canecão. Priolli é acusado de falsidade ideológica e estelionato qualificado. Para assegurar o patrocínio da Petrobras, ele teria usado uma pessoa jurídica diferente para esconder uma dívida de R$ 5 milhões da casa de shows com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).A reportagem tentou entrar em contato com Priolli, mas a secretária dele informou que ele não estava na capital fluminense. O Ministério Público pediu ainda a convocação do gerente-executivo da estatal, Wilson Santarosa, e do auditor fiscal da Receita Alberto Augusto Teixeira Carneiro. Segundo a denúncia, Priolli usou a empresa Canecão Promoção de Eventos, criada em 1997, no lugar da Canecão Promoção e Espetáculos Teatrais, verdadeira razão social da casa, que existe há 40 anos. Dessa forma, o empresário conseguiu aprovar o Projeto Canecão Petrobras no Ministério da Cultura, recebendo o direito de captar recursos através da Lei Rouanet.

Tudo o que sabemos sobre:
CanecãoPriolli

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.