Justiça exige estudo de impacto ambiental

Liminar da Justiça Federal de Marília (SP) obriga a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) a exigir o estudo prévio de impacto ambiental para autorizar a queima controlada da palha de cana-de-açúcar na região. A decisão, do juiz Alexandre Sormani, da 1.ª Vara Federal, atinge uma das principais regiões produtoras de cana do Estado. Conforme a Secretaria de Estado do Meio Ambiente, 38% dos canaviais da região ainda são colhidos com o uso do fogo controlado para a eliminação da palha. No Estado, o índice é de colheita com fogo é de 35%, o que equivale à queima anual de 1,8 milhão de hectares.

O Estado de S.Paulo

12 Abril 2012 | 03h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.