Justiça manda ex-jogadora entregar filho a americano

A Justiça Federal de Minas Gerais determinou que a ex-jogadora da seleção brasileira de vôlei Hilma Aparecida Caldeira, de 38 anos, terá de devolver o filho Kelvin para o pai da criança, que é norte-americano. A decisão é do juiz João César Otoni de Matos, da 19ª Vara Federal.

PRISCILA TRINDADE, Agência Estado

23 de abril de 2010 | 18h47

O prazo para a entrega da criança às autoridades brasileiras não foi informado. O caso segue em segredo de Justiça.

Em dezembro do ano passado, a família brasileira de Sean Goldman foi obrigada a entregar a criança ao pai norte-americano David Goldman por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). A batalha jurídica que começou na Justiça do Rio passou pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e envolveu o campo diplomático, com ameaças de retaliação comercial dos Estados Unidos caso o menino não voltasse ao convívio paterno. O pai invocava a Convenção de Haia ao afirmar que a família Bianchi, da ex-mulher, sequestrara seu filho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.