Justiça nega suspensão de processo ético contra autor de cirurgia controversa

A Justiça Federal de Goiás negou ontem ao médico Áureo Ludovico de Paula - criador da cirurgia que promete a cura do diabete - pedido de liminar para suspender o processo ético que ele enfrenta no Conselho Regional de Medicina de Goiás (CRM-GO). Com isso, o processo continua.

, O Estadao de S.Paulo

30 de janeiro de 2010 | 00h00

No dia 22, De Paula entrou com uma ação contra o CRM-GO e sua ex-paciente Daliana Kristel - autora da denúncia que deu origem à sindicância. Daliana, que depôs ontem pela primeira vez, alega não ter sido informada pelo médico do caráter experimental da cirurgia.

Na ação, De Paula aponta irregularidades na instauração do processo disciplinar e pede a suspensão até o pronunciamento da Câmara Técnica de Cirurgia Bariátrica do Conselho Federal de Medicina.

O presidente do CRM-GO, Salomão Rodrigues Filho, afirmou ao Estado que a sindicância cumpre todos os trâmites legais. Em sua decisão, o juiz Fernando Gomes diz que o prosseguimento do processo seria uma oportunidade para o médico evidenciar a lisura de sua conduta profissional. Procurado pela reportagem, De Paula preferiu não se manifestar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.