Justiça obriga USP a readmitir líder grevista

O dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade de São Paulo (Sintusp) Claudionor Brandão conseguiu na 26ª Vara da Justiça do Trabalho de São Paulo liminar que garante sua readmissão pela Universidade de São Paulo (USP), que o demitiu em novembro. A decisão foi informada na manhã de hoje à reitoria da universidade. A liminar foi concedida em ação ajuizada em maio por Brandão.

GUSTAVO URIBE, Agencia Estado

15 de junho de 2009 | 16h43

O técnico em manutenção de refrigeração trabalhava desde 1987 na USP e é um dos líderes da greve que na última terça-feira provocou o confronto entre funcionários e estudantes e a Tropa de Choque da Polícia Militar (PM). Brandão foi um dos três manifestantes detidos por crimes de dano ao patrimônio público, desacato à autoridade e resistência à prisão. A readmissão do dirigente é uma das reivindicações da greve organizada pelo Sintusp.

Brandão foi demitido sob a acusação de dano ao patrimônio público. A direção da USP argumentou que em 2007 o ex-funcionário depredou a reitoria da universidade durante invasão de funcionários e estudantes. A universidade ainda entrou na Justiça com dois processos contra o dirigente. Um deles, aberto em 2002, o acusa de danificar laboratórios da USP com produtos químicos. O outro o denuncia por invasão à biblioteca da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, em 2005. Brandão nega todas as acusações.

Mais conteúdo sobre:
USPlíder gravistaSintusp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.